segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Como Estudar a Bíblia

Estabelecer métodos não é muito fácil, pois existem muitos, e todos oferecem os mais variados sistemas de estudo que podem ser praticados pelos estudiosos da Bíblia. Vejamos dois procedimentos que podem ser adotados: o devocional e o intelectual.

1. O procedimento devocional.

Refere-se ao modo de estudar a Bíblia com atitude devocional e contemplativa. É um procedimento em que o estudante procurará através da leitura e meditação aplicar o conteúdo lido à sua própria vida. A atitude devocional no estudo da Bíblia deve levar em conta alguns procedimentos. Siga os passos abaixos.

* Leia a Bíblia, escolhendo um texto em especial, um livro, ou parte de um texto.

Procure memorizar alguma verdadee especial que lhe cahamou a atenção. Faça aplicação pessoal da verdade Bíblica (Deuteronômio 17.19).

*Desenvolva o ato da meditação na palavra de Deus (Josué 1.8).

Planeje o seu dia, sistematicamente, separando um horário no qual possa meditar e estudar a Palavra. Procure cumprir esse projeto e manter o bom hábito com oração e comunhão com o Senhor (Eclesiastes 5.4,5). Escolha o texto bíblico mais apropriado à sua necessidade específica, um txto que fale bem a sua alma.

*Leia a Bíblia como a Palavra de Deus.

Não confunda a Bíblia com qualquer obra literária. Não haverá proveito espiritual em uma leitura feita apenas com o intelecto. É preciso uma atitude devocional. (Hb 4.12; Pv 30.5; Sl 119.11; J 6.68).

2. O procedimento espiritual.

Esse procedimento tem a ver com o estudo sistemático das Escrituras, procurando entender o sentido das palavras, dos assuntos, dos aspectos históricos e geográficos, do literalismo e simbologia na Bíblia. Há uma errônia tendência ''espiritual'' que condena o estudo mais aprofundado da Bíblia, pois os seis adeptos ensinam que o intelecto pode prejudicar a espiritualidade. É completamente errada essa tendência, pois ela só contribui para a ignorâcia da Palavra de Deus como um todo.

Walter A. Henrichsen, em seu livro sobre ''Princípios de Interpretação da Bíblia'', nas páginas 8 e 9 apresenta um quadro de quatro partes básicas para o estudo correto da Bíblia, a saber:

Observação, que responde à pergunta: Que vejo? ''Aqui o estudante da Bíblia aborda o texto como um detetive. Nenhum pormenor é sem importância; nenhuma pedra fica sem ser virada. Cada observaão é cuidadosamente arrolada para consideração e comparações posteriores''.

* Interpretação,  que responde à pergunta: Que significa? ''Aqui o intérprete bombardeia o texto com perguntas como: Que significa estes pormenores para as pessoas às quais foram dados? Por que o texto diz isso?'' Qual a principal ideia que ele está procurando comunicar?''

*Correlação, que responde à pergunta: Como isto se relaciona com o restante daquilo que a Bíblia diz? '' O estudante da Bíblia deve fazer mais do que examinar somente passagens individuais. Deve coordenar seu estudo com tudo mais que a Bíblia diz sobre o assunto. A precisa compreensão da bíblia sobre qualquer assunto leva em conta tudo o que a Bíblia diz sobre tal assunto.

*Aplicação, que responde à pergunta: ''Que significa isto para mim?'' Esta é a meta dos outros três passos. Um especialista nesta área assim se expressou: ' Observação e interpretação sem aplicação é aborto''. A Bíblia é Deus falando. Sua Palavra exige resposta. Essa resposta tem de ser nada menos do que a obediência à vontade de Deus revelada''. (S.Histórico).

ESTUDANDO E INTERPRETANDO CORRETAMENTE A BÍBLIA.

É impossível estudar a Bíblia e interpretá-la sem algum médoto orientador. Existem certas regras e médotos de hermenêutica que podem ajudar na interpretação da Bíblia. É fato que o Espírito Santo nos ajuda na elucidação de textos obscuros, mediante a oração, porém é indispensável a ajuda exterior de bons livros escritos por homens de Deus. Eis, portanto, algumas regras que todo crente deve saber para não pecar contra a Palavra de Deus, precipitando-se a interpretá-la de qualquer modo:

A Bíblia deve ser interpretada mediante o texto, contexto e textos paralelos. Isto é, ao estudar um texto, não o interprete sem ver o seu contexto. O contexto pode ser o que vem antes e depois do texto. Os textos paralelos são aqules textos em outras partes das Escrituras que podem ajudar a esclarecer o texto que se quer interpretar. (DB). 

* A Bíblia deve ser interpretada em conformidade com o propósito dela. Cada escritor teve, sob a inspiração do Espírito Santo, um propósito específico ao escrever. Ao interpretar qualquer texto, não esqueça que a Bíblia foi escrita para revelar a vontade soberana de Deus à humanidade.

*Nenhum texto bíblico pode ser interpretado isoladamente da Bíblia. Nunca se deve basear ou estabelecer doutrina em um versículo isolado do contexto doutrinário que está em toda a Bíblia. Cada doutrina só é aceitável à luz da própria Bíblia.

* A Bíblia deve ser interpretada, sabendo-se distinguir a linguagem literal da linguagem figurada existentes nela.

* A Bíblia deve ser estudada e interpretada à luz do ensino geral contido em toda ela.

Fonte: Lições Bíblicas (Jovens e Adultos) /Editora: CPAD/Trimestre: 2º/ 1991/
Comentarista: Elienai Cabral/Tema Central: Conhecendo a Palavra de Deus.
Páginas: 10 - 12.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

As Armaduras de Deus

Se eu te perguntasse se você já viu um soldado indo à guerra sem a roupa e o equipamento que lhe é necessário para guerrear, sem sombras de dúvidas você me responderia que ''não''. Na verdade, nem eu, nunca vi, porque na realidade todos os soldados precisam estar preparados e revestidos para uma guerra.

O mesmo é no plano espiritual, nós, cristãos, somos soldados, e como soldados precisamos estar revestidos das armaduras de Deus (Efésios 6:11). Só que existe em nosso meio alguns soldados distraídos, acomodados, despreparados, e sem nenhuma preocupação em se revestir, estes se tornam alvo fácil para o nosso adversário.

As nossas armas são muito mais poderosas do que qualquer outra arma humana. Elas não são palpáveis, não são visíveis e nem físicas, mas o poder delas contra o adversário é muito grande. Quando a gente se reveste de toda a armadura de Deus ficamos mais fortes, e nada e nem ninguém pode nos deter, porque estamos revestidos.

Agora, que armas poderosas são essas? Vamos conhecer um pouco delas.


 * Verdade
O Diabo é um mentiroso desde o princípio, ele mente simplesmente porque é o pai da mentira e nele não há verdade (João 8:44) . Ele usa a mentira como uma arma para enganar aqueles soldados que não querem se revestir com a verdade . E infelizmente, o nosso Adversário com suas mentiras, tem conseguido fazer com que muitos se percam no meio do caminho. Então, se você não quer se perder, como muitos por aí, revista-se da verdade!

 * Couraça da Justiça
Essa couraça serve para nos proteger do maligno. Ela protege o nosso orgão mais importante, o nosso coração. Com a couraça o inimigo não tem como nos atacar. O nosso coração é o centro das nossas emoções. Por isso ele faz de tudo para tentar nos atacar no coração.

 * Sapatos na preparação do Evangelho da Paz
Precisamos estar calçados com esse sapato, o inimigo não quer que anunciemos o evangelho a outras pessoas, por isso ele faz de tudo para que não obedeçamos a ordem de Jesus : IDE.
Nessa caminhada pisaremos em pedras e espinhos, só que, se estivermos calçados com esse sapato, as pedras e os espinhos não poderão ferir os nossos pés, porque? Porque estamos calçados com o Evangelho da Paz!

 * Escudo da Fé
O escudo serve para apagarmos os dados inflamados do diabo. Em todo o momento o nosso adversário tenta lançar contra nós suas setas e dardos, isto é, espiritualmente. Mas este escudo também serve para nos proteger de palavras contrárias e de maldições que são lançadas contra nós.

 * Capacete da Salvação
O capacete serve para proteger a cabeça. Os motoqueiros (só os prudentes) usam capacetes. Os motoristas de formula 1 usam capacete, alguns ciclistas usam capacete, e os soldados? Também usam capacete.
O nosso adversário, não poucas vezes, tenta implantar em nossas mentes dúvidas à respeito de Deus, da nossa salvação, etc. Ele tenta lançar pensamentos duvidosos que não agrada a Deus. A nossa mente é muito importante, e por isso, devemos protegê-la, pondo em nossa cabeça o Capacete da Salvação.

 * A Espada do Espírito
Temos várias armas poderosas, mas, a única arma que serve para atacar o nosso inimigo é a Espada do Espírito, ou seja, a palavra de Deus. Ninguém ataca com o capacete, com o sapato, com o escudo e nem com a couraça, mas sim com a espada, pois é com ela que ferimos o nosso adversário.

Estas são as armas, precisamos estar revestidos não apenas de uma, mas de todas. Todas essas armas são importantes e cada uma delas tem uma função diferente, por isso devemos nos revestir de todas elas, porque só assim resistiremos as astutas ciladas do Diabo.

- Priscila Gomes

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Como posso amar o meu inimigo?

Amar a quem nos ama é fácil demais. Cumprimentar a quem nos cumprimenta também é fácil demais. Mas será que conseguiríamos fazer o mesmo a quem nos odeia e a quem sempre deseja ver o nosso mal? Não digo que é tarefa fácil amar a quem nos odeia; mas é o que temos de fazer, pois foi exatamente isso que o nosso Senhor nos ordenou, para o nosso próprio bem.


Vocês ouviram o que foi dito: “Ame os seus amigos e odeie os seus inimigos.”  Mas eu lhes digo: amem os seus inimigos e orem pelos que perseguem vocês, para que vocês se tornem filhos do Pai de vocês, que está no céu. Porque ele faz com que o sol brilhe sobre os bons e sobre os maus e dá chuvas tanto para os que fazem o bem como para os que fazem o mal. Se vocês amam somente aqueles que os amam, por que esperam que Deus lhes dê alguma recompensa? Até os cobradores de impostos amam as pessoas que os amam!  Se vocês falam somente com os seus amigos, o que é que estão fazendo de mais? Até os pagãos fazem isso! Portanto, sejam perfeitos, assim como é perfeito o Pai de vocês, que está no céu. (Mateus 5. 43-48)

Como é que eu posso amar aquela pessoa que só deseja a minha ruína e que sempre se alegra quando me dou mal? Como eu posso amar a minha vizinha que é uma fofoqueira e vive me difamando e falando mal de mim?  

Amar o inimigo é simplesmente fazer o bem a ele. É tratá-lo com bondade, não retribuindo o mal com mal. É tratá-lo com simpatia, respeito e paciência, e principalmente, é orar por ele. Quando você faz isso está amando o seu inimigo. Esse amor não se trata de um sentimento, mas sim de uma atitude de fazer sempre o bem a essas pessoas sem esperar retribuição por parte delas. 

Todos nós temos a tendência de retribuir o mal com o mal, devido a nossa natureza pecaminosa, mas o Espírito Santo que mora em nós, nos ajuda nesssas horas e nos dá força para matarmos diariamente nossa carne, que insiste em se inclinar para o pecado. Quem não tem o Espírito Santo certamente retribui o mal com o mal, mas quem tem o Espírito Santo faz totalmente diferente. Quem é controlado pelo Espírito tem o amor, o domíno próprio, a paciência, etc, e sabe tratar as outras pessoas da forma que deseja ser tratado, e isso independente das pessoas retribuirem o bom tratamento que recebem. 

Assim como Deus faz o bem àqueles que são indiferentes a Ele, da mesma forma temos de fazer o bem àqueles que não nos amam. Deus faz nascer o sol sobre o justo e o injusto, sobre o bom e o mal, sobre o grato e o ingrato, isto porque Ele é bondoso e misericordioso.

Se Deus que é Deus faz o bem até mesmo para com os maus e ingratos, quem somos nós para não fazer também? 

''Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados. E andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, como cheiro suave''. (Efésios 5.1)

Então não deixe de praticar o que é correto aos olhos de Deus. Todos nós, devido a nossa natureza caída, temos dificuldades em amar, principalmente os inimigos, mas conte com a ajuda do Espírito Santo, pois é Ele quem nos auxilia em nossas fraquezas.


'' Portanto sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai Celeste'' (Mateus5:48).

Priscila Gomes