quarta-feira, 20 de março de 2013

O Livro dos Mártires



Eu não costumo dar dicas de livros aqui no blog, e neste post não é o que eu pretendo fazer, quero apenas comentar sobre este livro, que eu já li uma vez, e estou relendo novamente. Ele não era meu quando eu o li pela primeira vez, só que há uns dias atrás eu ganhei ele de presente de aniversário de uma senhora lá da igreja onde congrego, ganhei ele muito adiantado, pois só faço aniverssário  em maio, rs. (= 

Este livro é um pouco pesado quanto ao seu conteúdo, pois nele é descrito as várias formas de martírio que os cristãos antigamente sofreram. É chocante o modo como muitos cristãos sofreram no passado. Eles morreram dos modos mais cruéis e absurdos que uma mente poderia imaginar. 

Os imperadores e carrascos daquelas épocas inventavam vários tipos de torturas e castigos para serem aplicados àqueles que se declaravam ''cristãos''. Todos os que negavam a sacrificar aos deuses dos tiranos pagãos eram condenados à tortura e à morte.

Neste livro conta como se deu as primeiras perseguições aos cristãos no passado. Narra o modo como cada discípulo de Cristo morreu, e também a forma como outros cristãos morreram, por serem acusados de hereges e por não se converterem ao catolicismo. 

O livro é antigo, mas mesmo assim não deixa de ser interessante.
Àqueles cristãos sofreram muito nas mãos de vários imperadores, e dos soldados, que não perdoavam jovens, adultos, homens, mulheres e crianças, até mesmo os bebes recém-nascidos eram vítimas das crueldades daqueles desalmados. 

Hoje nós temos plena liberdade para pregar o evangelho, sem corrermos o risco de sermos perseguidos e mortos. A liberdade e a facilidade que temos hoje, eles não tinham. Mas mesmo não tendo nenhuma liberdade, eles não deixaram de pregar o evangelho, e através deles, muitos dos carrascos se converteram ao cristianismo, só por verem a coragem no rosto deles ao serem mortos, e muitos morreram louvando a Deus.

''Oh, infeliz, para que comprar um momento de alívio à custa de uma eternidade de misérias?!'' pg 18.

Esta frase foi de uma jovem cristã de apenas dezesseis anos, que viu um protestante ser torturado, e ele por não aguentar tanto sofrimento retratou-se. Após a jovem proferir a frase , descobriram que ela também era cristã, e foi decapitada.


''Perseguir por diferenças de opinião é tão absurdo quanto odiar por se ter um rosto feio'' pg. 69

É isso aí!

0 Coments:

Postar um comentário

Comentários ofensivos e que contenham palavrões não serão publicados.